40º Ralicross de Sever do Vouga - Domingo

O Vouga Sport Clube organizou a terceira prova do Campeonato Nacional de Ralicross, Kartcross e Super  Buggy, na pista do Alto do Roçário, em Talhadas, Sever do Vouga.

Mais de sete dezenas de pilotos disseram "presente" e deram corridas especatculares ao público que, como sempre, acorreu em massa ao circuito severense. Pena foi que o programa das corridas se tenha estendido pela tarde fora e terminado já bem perto da hora de jantar. Os acidentes e as interrupções de corrida explicam grande parte do atraso.

Parabéns a João Novo, pela vitória na Super Iniciação, a Luís Moreira na Super Nacional 2RM, José Eduardo Rodrigues ganhou a Super 1600, Sérgio Dias foi o vencedor da nova categoria Super Nacional A 1.6, Joaquim Santos voltou a ganhar nos Super Car, assim como Ana Matos foi a vencedora na Super Nacional 4WD, Rafael Rocha ganhou nos Super Buggy e José Mota foi o vencedor  nos Kartcross.

No Kartcross houve um convidado especial, João Fernando Ramos sentou-se aos comandos de um AG Sport do Team Seraical e, pelos vistos, ficou cliente: 

"Achei o kartcross extremamente competitivo e muito interesante de guiar. Há equipas muito bem preparadas, com um nível fantástico e achei muito interessante ver que há pessoas de todas as idades. Fiquei cliente!" Rematou o famoso pivot da RTP.

JFR domingo 2 JFR domingo jframos sever João Fernando Ramos (AG Sport) 

Finais

Super 1600

A segunda curva do circuito definia muito do que seria a classificação final. Os toques começavam logo aí e o Citroen Saxo S1600 de João Ribeiro levantava as rodas. Logo de seguida Ribeiro fica entre a barreira o Citroen DS3 de Rui Sirgado. O toque, violento na barreira e desencadeia-se a sequência em que três carros ficavam bastante mal tratados. João Ribeiro, Rui Sirgado e Hélder Ribeiro (Citroen C2 S1600), que era apanhado no meio da confusão e já não ia mais longe. Quem passou pelo meio seguiu para a grelha de partida, pois a bandeira vermelha já era mostrada.

Sobraram cinco e cinco bastaram para fazer a corrida do fim-de-semana.

Mário Teixeira (Ford Fiesta S1600) partiu na frente, mas José Eduardo Rodrigues (Peugeot 206 S1600) era uma espécie de sombra. Lá mais atrás vinha Bruno Gonçalves (Citroen Saxo S1600), com os olhos postos no pódium.

André Sousa (Peugeot 207 S1600) era quarto, mas lá de trás vinha Joaquim Machado (Peugeot 206 S1600), que estava apostado em terminar o mais à frente possível.

A corrida estava ao rubro e as idas à joker lap, primeiro baralhavam e depois definiam a classificação.

José Eduardo Rodrigues ia à joker. Depois era a vez de Mário Teixeira entrar no percurso maior e só ao regressar ao traçado principal, se pôde ver que Eduardo estava na frente. No pouco que faltava para terminar, José Eduardo controlava a corrida e vencia, com Teixeira praticamente colado.

A terceira posição estava ainda muito longe de se definir. Joaquim Machado primeiro passava André Sousa e passava a atacar Bruno Gonçalves. A luta demorou um bom para de voltas para ficar decidida e só após muita teimosia de Joaquim Machado era possível determinar o terceiro posto, que ficava posse do homem do Peugeot. 

IMG 3319 José Eduardo Rodrigues (Peugeot 206 S1600)

Super Nacional 2RM

Luís Moreira (BMW E30) venceu uma final que foi discutida de forma bem “quente” desde o desligar do semáforo à bandeirada de chegada.

Logo no início um toque feio. Toda a gente a rodar muito próxima, os toques a acontecerm no meio da confusão e quem mais ficou a perder foi Hugo Santos. O Honda Civic Type R saiu disparado de frente contra a barreira e a prova acabava aí para Santos.

Na frente Luís Moreira e Nuno Magalhães (Ford Escort) disputavam cada metro de pista como se fosse o último. Só mesmo após às idas à joker lap foi possível ver quem ficava na frente e foi mesmo Moreira, que acabou por vencer.

Fábio Silva (Peugeot 106) acabava por ficar no terceiro posto e aí terminar. Aliás esse mesmo lugar também já tinha sido posse de José Sousa (Peugeot 306), que cortou a meta em quarto, à frente Daniel Sousa (Peugeot 106) e de Fernando Silva (Seat Ibiza TDi).

moreira sever domingo Luís Moreira (BMW E30)

Super Nacional A 1.6

Sergio Dias (Citroen Saxo) venceu a corrida, que foi disputada a duas velocidades. No início tudo muito animado. Depois vieram os problemas de caixa do Peugeot 106 de Pedro Tiago e de Luís Morais, que também conduzia um carro da marca do Leão e a caixa de velocidades ia à vida. Pelo caminho já tinha ficado Daniel Leal (Citroen Saxo) e Sérgio Dias acabava a corrida sozinho. O segundo era Luís Morais e o vencedor era o “resistente” Sérgio Dias.

a1.6 Sérgio Dias (Citroen Saxo)

Iniciação

João Novo (Peugeot 106) partiu da pole-position e acabou por dominar uma corrida, que ficou marcada por dois toques. 

O início da prova prometia discussão até ao fim, toda a gente a rodar junta e as posições a serem discutidas como “gente grande”.

Andreia Sousa foi a primeira “vítima”,  um toque com Francisco Silva, que tentava ganhar tempo aos líderes da corrida, fez com que o Toyota Starlet fosse embater com alguma violência no muro da recta da meta. Andreia fica fora da prova.

As idas à joker lap vieram baralhar as coisas e Rafael Rocha (Peugeot 106)ficava como um dos pilotos que lutava pelas posições da frente. Depois foi o outro toque, com João Novo, que conseguiu seguir e acabar a corrida na frente.

Francisco Silva ficou com a vida um pouco mais facilitada e acabou por cortar a meta no segundo posto, à frente da Pedro Domingos, que neste pódium teve uma espécie de prémio de consolação, após mais um fim-de-semana atribulado, com a caixa a dar problemas q.b.

Rodrigo Correia (Peugeot 205) foi o quarto classificado. 

Terminada a corrida, Francisco Silva foi informado de que tinha sido desclassificado. 

A classificação oficial ficou assim ordenada: João Novo foi o vencedor, seguido por Pedro Domingos, Rodrigo Correia, Rafael Rocha e Andreia Sousa. 

IMG 1469 João Novo (Peugeot 106)

Super Car

Joaquim Santos (Ford Focus) dominou a corrida, se bem que Pedro Matos (Citroen DS3), não tenha facilitado e tenha rodado sempre próximo, na expectativa de “saltar” para a frente, na primeira oportunidade.

Na Super Nacional 4WD a vitória foi para Ana Matos, que rodou sempre no terceiro posto, à frente de Daniel Costa (Peugeot 106 Bimotor).

santos sever domingo Joaquim Santos (Ford Focus) ana matos sever Ana Matos (Mitsubishi Lancer Evo VI)

Super Buggy

Paulo Godinho (PG Racing) tinha a pole-position e aproveitou essa vantagem para andar na frente da corrida no início. Mas como nas corridas deste fim-de-semana nada estava decidido à partida, no Super Buggys não houve excepção e pouco depois era a vez de haver troca na frente e Rafael Rocha (Toniauto TT) passar para a frente e vencer.

António Estêvão (GRT MXG) foi o terceiro a cortar a meta, à frente de Arménio Rodrigues (Atmos Strong).

sbuggy sever Rafael Rocha (Toniauto TT)

Kartcross - Final A

José Mota (Semog Bravo) arrancou muito bem e colocou-se na frente. Pedro Rosário (Semog Bravo ER) roda próximo após três voltas havia cerca de um segundo de diferença entre ambos.

José Luís Pereira (AG Sport) mantinha-se colado aos da frente e à quinta volta “roubava” a vice liderança ao Campeão em Título. José Mota aproveitava esta luta, para ganhar alguma distância e cortar a meta com um pouco de folga.

Nuno Bastos (ASK Evo 16) andava por muito perto da traseira do Semog de Rosário e terminava em quarto, à frente de João Matias (HSport) e de Rui Nunes (Semog Bravo).

Mário Rato, que durante todo o fim-de-semana lutou pelas posições da frente ficou impedido de lutar por o que quer fosse, com um furo no Semog Bravo. Durou quatro voltas em prova.

Terminavam a prova na mesma volta do vencedor 18 pilotos. 

jose mota sever José Mota (Semog)

Kartcross - Final B

Pedro Palma (Semog) venceu a final B, com uma vantagem confortável sobre Bernardo Maia (JRS Evo). Gonçalo Valentim (Semog Bravo 2016) conquistou o derradeiro lugar disponível para a Final A.

João Fernando Ramos, terminou aqui a estreia no Kartcross. Foi sétimo, depois de se adaptar muito rapidamente ao AG Sport do Team Seraical.  

Meias Finais

Super Nacional 2RM – A

Daniel Sousa (Peugeot 106) impôs-se na primeira meia final, que venceu e assim segurou sem mais problemas a presença na final.

Hugo Santos (Honda Civic) foi quem deu mais luta ao primeiro, mas sempre com muita pressão por parte de José Sousa (Peugeot 306). Américo Sousa (Citroen Saxo) conquistou o derradeir posto para a grelha de partida da final.

Super Nacional 2RM – B

A corrida começou mal para Celmo Gicho (Renault Clio) que no meio da confusão terminou capotado na entrada da curva um. A bandeira vermelha era mostrada e a corrida era interrompida.

Retomada a prova assistimos a uma dessas corridas completamente impróprias para cardíacos, com os três da frente a rodarem completamente colados nas duas primeiras voltas. Luís Moreira (BMW E30), Ricardo Mendonça (Peugeot 306) e Nuno Magalhães (Ford Escort) foram os protagonistas de um dos momentos do fim-de-semana. Só após se ter cumprido a última ida à joker lap, deste trio, é que as coisas se começaram a definir e foi o homem do BMW a levar a melhor. Nuno Magalhães foi segundo e Ricardo Mendoça cortou a meta logo atrás.

Fábio Silva (Peugeot 106) foi um espectador atento desta luta e dessa forma foi o quarto classificado, conseguindo assim o derradeiro lugar disponível para a final. 

Corridas de Qualificação

Iniciação

João Novo (Peugeot 106) terminou em primeiro a fase de qualificação da Super Iniciação. Dois primeiros lugares garantiram-lhe a pole-position para a final. Rafael Rocha foi o outro piloto a ganhar, venceu a segunda corrida de qualificação e dessa forma fica com o segundo posto após as três corridas de qualificação.

Pedro Domingos queixou-se da caixa de velocidades do Toyota Starlet, mas com o terceiro lugar a da última corrida de qualificação conseguiu ser o terceiro. Logo atrás ficava Rodrigo Correia (Peugeot 205), seguido de Francisco Silva (Citroen Saxo) e de Andreia Sousa (Toyota Starlet).

 Super Nacional 2RM

Depois de três corridas de qualificação capazes de fazer saltar o mais calmo dos espectadores, Daniel Sousa (Peugeot 106), foi quem levou a melhor, com dois segundos lugares. Celmo Guicho (Renault Clio) terminou com igual número de pontos, chegou até a vencer a segunda primeira corrida, mas o desempate coloca-o em segundo.

Nuno Magalhães (Ford Escort) venceu também uma das corridas de qualificação, a segunda, mas o quarto lugar na derradeira, colocou-o em terceiro, à frente de Hugo Santos (Honda Civic Type R). Ricardo Mendonça (Peugeot 306) fechou as contas com o quinto posto, à frente de Paulo Reis (Renault Clio).

Luís Moreira (BMW E30) está definitivamente em fim-de-semana “não”. Na última corrida de qualificação, que ainda lhe poderia permitir um lugar entre os seis da frente, teve dois toques, um deles forte à entrada da recta da meta, que o atiraram para o sétimo posto.

Santinho Mendes (Opel Astra) é outro dos pilotos que está em maré de azar. Até venceu a última corrida de qualificação, mas um toque na primeira e uma transmissão partida na segunda, relegaram-no para nono.

daniel sousa sever Daniel Sousa (Peugeot 106) em 1º, Paulo Reis (Renault Clio)

Super Nacional 1.6 A

Aqui se prova como com quatro pilotos se podem fazer grandes corridas. Foram três qualificações com todos a rodarem colados e a vitória a sorrir duas vezes a Luís Morais (Peugeot 106), que assim terminou na frente. Pedro Tiago (Peugeot 106) foi o outro vencedor e junta-se um segundo lugar que o colocou em igual posto na grelha da final. Daniel Leal (Citroen Saxo) foi o quarto e Sérgio Dias (Citroen Saxo) o quinto.

Super 1600

Hélder Ribeiro (Citroen C2 S1600) somou vitórias na segunda e terceira corridas de qualificação e dessa forma ganhou o direito de partir da pole-position para a final. Mário Teixeira (Ford Fiesta S1600), o piloto que venceu a primeira corrida de qualificação foi o segundo.

José Eduardo Rodrigues (Peugeot 206 S1600) fez dois segundos, que o colocaram em terceiro na grelha da final, à frente de Rui Sirgado, que somou um segundo e um terceiro postos, respectivamente na primeira e terceira corrida.

João Ribeiro (Citroen Saxo S1600) não está em maré de sorte. Uma transmissão na segunda corrida e um toque após o qual não conseguiu repor o carro em marcha, na última qualificação colocaram-no em quinto.

Bruno Gonçalves (Citroen Saxo S1600) não começou bem, na primeira qualificação teve um tête seguido de um toque ligeiro na entrada da jocker lap, que condicionou as prestações segunitrs, em que foi sempre quinto.

Joaquim Machado (Peugeot 206 S1600) ficava de fora na primeira curva da última corrida, no meio da confusão e já não conseguia ficar melhor do que em sétimo, à frente de André Sousa (Peugeot 207 S1600), Nuno Araújo (Citroen C2) e Ricardo Soares (Citroen Saxo S1600).

toque s1600 1  toque s1600 2 toque s1600 8  toque s1600 10

Super Car e Super Nacional 4WD

Pedro Matos (Citroen DS3) venceu a qualificação, ao ganhar uma corrida e ser segundo nas outras duas. Joaquim Santos (Ford Focus) venceu por duas vezes, mas como não alinhou na segunda, fechou as contas como segundo posto.

Ana Matos (Mitsubishi Lancer EVO VI) foi segunda e assim foi a melhor Super Nacional 4 WD, à frente de Daniel Costa (Peugeot 106 Bimotor).

Super Buggy

Paulo Godinho (PG Racing) venceu duas corridas, foi terceiro na primeira e assim ganhou a pole-position para a final. A oposição foi encarnada por Rafael Teixeira (Toniauto TT), venceu a corrida de abertura e somou um segundo e um terceiro. António Estêvão (GRT MXG) foi terceiro à frente Nelson Barata (Toniauto TT) e Arménio Rodrigues (Atmos Strong).

Ludgero Santos ficou de fora da corrida, depois de ter tido problemas no motor do Toniauto TT.

Kartcross

José Luís Pereira (AG Sport) começou bem o fim-de-semana. Nos treinos bateu o record da pista, com o tempo de 35,680s. Nas corridas de qualificação venceu a segunda e fez ainda um segundo e um terceiro postos. Ficou com a pole-position para a final.

Mário Rato (Semog Bravo) teve um desempenho idêntico, mas com um quarto posto, foi segundo na qualificação. José Mota foi o vencedor da última qualificação e assim deu o “salto”, que o colocou no terceiro posto da grelha de partida.

Nuno Bastos (ASK EVO 16) terminou a qualificação com o quarto posto, à frente do Campeão em título, Pedro Rosário (SEmog Bravo ER). Luís Almeida (Semog) fechou o grupo dos seis da frente.

João Fernando Ramos sentou-se aos comandos de um AG Sport e deu-se bem, no entanto o facto de não ter podido alinhar na primeira corrida de qualificação, devido a um imprevisto pessoal, colocou-o no 24º posto final, ainda com esperança de uma possível qualificação, caso consiga um dos três primeiros lugares da meia-final. 

IMG 1987 José Luís Pereira (AG Sport) IMG 2093 João Fernando Ramos (AG Sport)