Gustavo Moura de Audi na Velocidade nacional

Speedy topo

O piloto de Paços de Ferreira assinou, no sábado passado à noite em Fafe, durante a realização do Rally Serras de Fafe, com a Speedy Motorsport para o Campeonato de Portugal de Velocidade Turismo – TCR Portugal 2018.

O carro vai ser um Audi RS3 LMS, que foi comprado para disputar o Campeonato de Portugal de Velocidade. A expectativa do piloto é naturalmente grande: “decidi comprar o Audi, pois acredito que é um carro competitivo e que me vai permitir andar mais na frente. Gosto de lutar pelas posições da frente e quero voltar a ganhar, como já o fiz. Por isso é com este tipo de expectativas que vou partir.”

A Speedy Motorsport foi a escolha natural. “Já conheço o Pedro Salvador há muito tempo, conheço bem a equipa e sei do grau de profissionalismo que têm. Ora uma estrutura como esta permite-me partir mais descansado para as corridas e, sobretudo, dá-me a tranquilidade que necessito fora delas, para poder gerir a minha empresa.” Rematou Gustavo Moura, realçando a confiança que deposita na Speedy Motorsport.

“O Gustavo é um “gentleman driver”, mas é também um piloto muito competitivo em pista. Por isso estamos com expectativas grandes em torno desta participação, tanto mais que o Audi RS3 LMS é um carro com um grande potencial, tal como o Gustavo tem grande potencial como piloto.” Rematou Pedro Salvador.

gmoura salvador Pedro Salvador e Gustavo Moura, no momento da assinatura do contrato.

Speedy Motorsport “estreia-se” no Rally Serras de Fafe

Speedy topo

A equipa liderada por Pedro Salvador estreia-se este fim-de-semana nos ralis, com ambições de lutar pelos lugares da frente. Este é o primeiro momento de uma serie de novidades programadas para 2018.

A Speedy Motorsport iniciou-se em 2015 na velocidade. A experiência de Pedro Salvador nas pistas, ditou um caminho que foi naturalmente seguido com resultados francamente positivos e de imediato a equipa se afirmou nos paddocks.

No ano passado foi dado o passo para o Todo-o-terreno e nesse mesmo ano apareceu o primeiro pódium para a dupla Pedro Ferreira e Valter Cardoso. Por isso, os ralis são uma evolução natural.

“Sim, foi-me lançado o desafio de assistir os Ford Fiesta R5 do João e do Elias Barros. Foi uma decisão muito ponderada, testamos e evoluímos juntos e acho que temos condições para fazer uma boa época.” Afirma Pedro Salvador.

Há a consciência de a equipa está a começar um novo desafio, justamente num ano particularmente competitivo. “É verdade o arranque dificilmente poderia ser melhor. O Serras de Fafe tem a melhor lista de inscritos dos últimos anos, se não mesmo a melhor de sempre, e isso é muito motivador para todos nós. Além disso, vamos estar com três equipas capazes de brilhar, cada uma com metas e expectativas diferentes.”

João Barros e Jorge Henriques estão apostados em lutar pelos lugares de frente. Os testes recentemente realizados provaram que quer a equipa, quer o Ford Fiesta R5 estão em topo de forma. Como objectivos: “terminar a prova, andar o melhor possível e dar espectáculo e se no final estivermos nos lugares da frente, tanto melhor.” Explica o líder da Speedy Motorsport.

Elias Barros e Paulo Silva, uma dupla liderada porum gentleman driver que tem tido uma evolução fantástica ao longo do tempo e que parte para o Rali Serras de Fafe com a determinação que o caracteriza, de dar um bom espectáculo e de prosseguir a sua evolução positiva.”

Por fim a dupla que é a grande surpresa desta prova: José Carlos Macedo e Luís Lisboa, “o regresso de dois nomes históricos dos ralis nacionais. Adversários de sempre no passado e que aqui se reúnem para uma participação histórica, que certamente fará as delícias de milhares de fãs. É para nós uma honra e motivo de orgulho, receber esta dupla.”

De partida para a primeira prova, todas as atenções estão agora centradas em Fafe, prova em que é reforçada a promessa de “motivação, determinação, força, competitividade que pretendo que seja o ADN da Speedy e de todos aqueles que nos rodeiam.” E não só para os ralis, mas para todas as frentes em que a equipa se vai lançar esta época, com promessas de novidades e apostas fortes, mas essas “a seu tempo, por agora é ralis, ralis e ralis”, rematou o homem forte da Speedy Motorsport.

Speedy rodape

Pedro Salvador realça a época positiva de 2017

cabeçalho

Pedro Salvador fechou a época com o vice-Campeonato Nacional de Montanha, depois de uma época marcada por problemas mecânicos, em que apesar de não ter atingido o título, fecha o ano desportivo com um balanço positivo.

“O objectivo principal que tínhamos para 2017, passava pela a missão difícil de evoluir um carro novo, o Silver Car EF10 e, portanto, o balanço do trabalho desenvolvido entre a minha equipa técnica da Speedy Motorsport e a Silver Car, no que diz respeito à competitividade do carro foi conseguido com sucesso. A fiabilidade acabou por ser o tema decisivo e impeditivo de alcançarmos melhores resultados, mas apesar de não termos alcançado o título não deixo de fazer um balanço positivo pelas vitórias alcançadas, pelo retorno conseguido para todos os meus parceiros em que a espectacularidade e rapidez do carro foram essenciais. Por isso, mesmo sem ter revalidado o título, o balanço da época é francamente positivo.”

Para o resultado final, as classificações de três provas foram decisivas. No fundo da média das duas melhores e da pior se fez o resultado de 2017.  

“Positivamente, destaco as duas únicas provas em que não tivemos problemas técnicos: Murça e Boticas. Nestas realço a sensação fantástica, o desafio de guiar o EF10. É um carro desafiante de guiar no limite e a adrenalina que provoca é inigualável. Pela negativa, destaco a Serra da Estrela, em que apesar dos problemas de motor que tivemos, poderíamos ter alcançado a vitória, o que acabou por não acontecer devido à quebra do diferencial.”

O Campeonato Nacional de Montanha tem sido “a praia” de Pedro Salvador ao longo de anos e por isso analisa-o como ninguém.

“Relativamente ao panorama da Montanha, vejo um Campeonato saudável, com uma média de inscritos acima de outros Campeonatos, penso que não estou em erro acerca desta informação. É competitivo em algumas das categorias presentes, com organizações a evoluir de ano para ano, bom retorno mediático e muitos espectadores presentes na grande maioria das provas. Penso que o Campeonato tem vindo a evoluir no bom sentido e que houve bom trabalho desenvolvido nos anos passados.”

“Obviamente que nem tudo é perfeito e deveriam existir algumas alterações a nível regulamentar. No caso da nossa categoria 1, penso que o rumo seguido dos E2-SC não terá sido a melhor escolha. Apesar de ter a noção que a nível de espectacularidade é superior, passamos para carros com um valor muito elevado, com um tipo de condução mais exigente e maior manutenção. A probabilidade de a curto prazo termos um carro a vencer provas sem qualquer concorrente do mesmo nível é alta e isso não será benéfico para o Campeonato.”

A época de 2017 terminou e certamente que já prepara a próxima, a época de 2018.

“Estou a trabalhar para a próxima época, claro. O objectivo passa naturalmente por lutar pela vitória seja em que competição for, mas para já prefiro não divulgar ainda quais as possibilidades que temos para 2018.”

Fica a promessa para 2018 de que Pedro Salvador e a Speedy Motorsport vão regressar e, como é hábito, vão ter a vitória na mira. A concorrência que se prepare, seja lá em que competição for.

salvador capacete salvador penha Pedro Salvador - Silver Car EF10 - Arquivo

A prova da decisão

cabeçalho

Pedro Salvador parte para a Rampa de Boticas com uma possibilidade de revalidar o título.

O primeiro é o único lugar que interessa a Pedro Salvador, para vencer o Campeonato Nacional de Montanha pela sétima vez. Além disso, feitas as contas, o seu principal adversário, Rui Ramalho, terá que ficar abaixo da terceira posição final. Por isso esta é uma matemática arriscada.

“Vou para Boticas com a vontade e o empenho de sempre: andar o mais rápido possível e com os olhos postos na vitória. No entanto tenho consciência de que o Campeonato é algo mais difícil de conseguir, pois ao Rui (Ramalho) basta um segundo lugar e isso só mesmo se conseguir passar para o Osella, toda a má sorte que me perseguiu esta época (risos).”

A sorte tem sido madrasta para as contas do Campeonato de Pedro Salvador. A juventude do Silver Car EF10 explica a maior parte dos resultados menos bons.

“Sempre que não tive problemas no carro, fui o mais rápido. Mas a (má) sorte, problemas mecânicos em mais de metade das provas colocam-me numa posição difícil para renovar o título, mas mesmo assim vou andar o mais rápido possível, para finalizar a época com a 4º vitória do Silver Car e dar espectáculo para todos quantos me apoiam!”

Rematou Pedro Salvador, que vai tentar “virar” a sorte no próximo fim-de-semana.

psalvador Pedro Salvador (Silver Car EF10)

Campeonato adiado para Boticas

cabeçalho

Pedro Salvador foi segundo na Senhora de Graça, depois de uma prova com inúmeros problemas no Silver Car EF10.

Pedro Salvador até começou bem e apesar do traçado da Senhora da Graça não ser o melhor para o Silver Car, foi o mais rápido enquanto não teve problemas, ou seja nas subidas de treinos.

No sábado o Silver Car teve problemas de caixa de velocidades que me impediram que pudesse efectuar a primeira subida de prova.

Assim apenas restavam as duas subidas de Domingo para recuperar. “Após a mudança do motor e da caixa, voltaram os problemas de motor que não me permitiram efectuar qualquer subida em condições normais. As corridas têm destas coisas e esta época a sorte teima em não querer nada connosco.”

“O balanço final desta prova é manifestamente negativo…Parabéns ao Rui Ramalho pela vitória e obrigado a todos pelo apoio. Estaremos de volta em Boticas dentro de 2 semanas.” Rematou o Campeão Nacional de Montanha em título.

sra graca salvador Pedro Salvador (Silver Car EF10)