O diferencial comprometeu a prova

Pedro Alves fez o melhor tempo dos treinos entre os 1.300 e olhando para a grelha de partida quase podíamos crer que estávamos a reviver um momento de 2012. Logo ao lado estava o Alfa-Romeo Sprint de Alexandre Beirão da Veiga e tudo apontava para mais um duelo titânico entre protagonistas da época passada.

O homem do Toyota Starlet apoiado pela JP Inspiring Knowledge, fez um arranque espectacular e rapidamente estava distanciado do seu principal adversário, tendo-se intrometido numa luta que à primeira vista não seria sua.

“Estava a andar num bom ritmo e tinha já uma distância confortável que me permitia começar a dosear o andamento, pois já não era possível conseguir terminar em melhor posição… lá mais para frente só tínhamos “aviões”. Logo de seguida  um problema no diferencial ditou o abandono.” Comenta Pedro Alves, em forma de balanço da corrida de hoje.

A próxima prova é já amanhã, com partida marcada para o meio-dia: “manhã vou partir da ultima linha e reviver o que se passou há dois anos – em 2011 também parti de ultimo – e, portanto vou tentar terminar na melhor posição possível.”

 

As últimas palavras são para os amigos, patrocinadores e público: “Quero agradecer aos amigos, aos meus patrocinadores o facto de terem vindo à Boavista para me apoiarem, mas principalmente quero mandar um grande abraço ao publico fantástico, que está connosco e que aplaude, reage ao nosso desempenho em pista.”