Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre o uso de cookies.

49º Circuito de Vila Real - Domingo

logo racing weekend 2018

Racing Weekend teve a terceira jornada de 2018 em Vila Real, com provas que pontuaram para o Campeonato de Portugal de Velocidade Legends, Campeonato de Portugal de Velocidade Clássicos e Clássicos 1300, Supercar Series e a prova principal, Campeonato de Portugal de Velocidade Turismo – TCR Portugal.

Na prova principal Pedro Salvador (Seat Leon Cupra TCR) “arrematou” duas vitórias, pelo que reforçou a liderança do Campeonato.

vilareal rotunda 

CPVT - TCR Portugal - Supercar Series

Pedro Salvador voltou a impor o Seat Leon Cupra TCR e venceu a segunda corrida, que dominou de fio-a-pavio. Francisco Carvalho (Audi RS3 LMS) foi segundo.

O principal ponto de interesse na corrida, foi a luta pelo terceiro posto, que acabou por ser ganha por Francisco Abreu (Peugeot 308 TCR), depois de passar Gustavo Moura (Audi RS3 LMS), na sequência de um toque de corrida. Manuel Gião (Kia Cee´d TCR) aproveitou o facto e passou para quarto, enquanto Moura baixava para quinto.

Nos Supercar Fábio Mota foi o vencedor, seguido por Daniel Teixeira e Pedro Lisboa.

Resumo volta a volta

  • Partida

Pedro Salvador arrancou na frente.

José Cautela (VW Golf GTI TCR) teve uma saída na subida de Abambres e motivou a entrada do saty car em pista.

  • 2ª volta

Retomada a prova e Pedro Salvador mantinha a primeira posição, seguido pelos homens dos Audi RS3 LMS, Francisco Carvalho e Gustavo Moura.

  • 4ª volta

Pedro Salvador fez a melhor volta de corrida, com o tempo de 2m 04,012s.

João Sousa (Seat Leon) foi para a box.

  • 5ª volta

Francisco Abreu (VW Golf GTI TCR) era quarto, atrás de Gustavo Moura. Manuel Gião (Kia Cee´d TCR) rodava em quinto.

Fábio Mota (Peugeot 308 Cup) era o primeiro dos Supercar

  • 6ª volta

Daniel Teixeira subia para o sétimo posto, segundo dos Supercar. Seguiam-no Pedro Lisboa (VW Golf GTI TCR) e Paulo Martins (Nissan 350Z).

  • 7ª volta

Francisco Abreu falhou a travagem para a curva um e não conseguiu evitar um toque em Gustavo Moura. O Audi saiu de trajectória, Moura baixou para quinto, pois Manuel Gião aproveitou para ganhar mais um lugar.

  • 11ª volta

Pedro Salvador rodava em 2m04, cerca de um segundo mais rápido que os adversários.

  • Final

Vitória de Pedro Salvador, seguido por Francisco Carvalho a 19,270s e Francisco Abreu com mais 3,474s.

Manuel Gião terminou em quarto, à frente de Gustavo Moura.

Fábio Mota foi o melhor dos Supercar, trazendo Daniel Teixeira a 40,249s e Pedro Lisboa foi terceiro.

Paulo Martins, quarto dos Supercar, foi simultaneamente o melhor GT. Tanto mais que neste grupo faltaram José Correia (Nissan Nismo GTR GT3), devido ao acidente de ontem e Gonçalo Manahu, que não conseguiu resolver o problema de caixa de velocidades do Porsche 997 GT3.

vilareal partida domingo 

vilareal salvador domingo Pedro Salvador (Seat Leon Cupra TCR) foto: NunOrganista 

vilareal mota domingo Fabio Mota (Peugeot 308 TCR), foto: NunOrganista

vilareal domingo tcr podio Pódio do TCR

Disseram os vencedores

Pedro Salvador

"Correu muito, muito, muito bem, verdadeiramente. Mais uma vez, mais fácil do que eu tinha previsto. Arranquei muito bem, na primeira volta, depois com a entrada do safety car as coisas ficaram mais apertadas. Consegui surpreender o Francisco no recomeço da corrida e a partir daí tive um andamento muito forte, um ritmo muito forte, consegui ganhar uma vantagem grande logo nas primeiras voltas e só posso dedicar esta vitória verdadeiramente à equipa porque entregou-me um carro fantástico, fácil de conduzir, consistente. Conseguimos fazer uma volta rápida que me deixou extremamente satisfeito, portanto, um fim de semana perfeito."

Fábio Mota

"Foi uma corrida muito intensa. Houve dois incidentes na primeira volta mas acabou por resultar bem para nós. Conseguimos alcançar a primeira posição, que era um objetivo em mente e assim o conseguimos! Por isso saio muito contente, mas acima de tudo saio muito entusiasmado e cada vez mais apaixonado por esta corrida aqui em Vila Real, porque o público é sem dúvida fenomenal."

CPVC 

Luis Barros (Porsche 930 Turbo) arrancou melhor do que João Macedo e Silva (Porsche 911 RSR) que não lhe dava um segundo de descanso, com pressão constante. Logo atrás vinha o grupo dos Ford Escort, com Joaquim Jorge à cabeça, seguido por Rui Azevedo e por Rui Costa.

A luta dos H71 era re-editada com os homens dos Lotus Elan, Joaquim Soares e Filie Matias a serem os protagonistas e Soares, já com o carro completamente recuperado depois do acidente de ontem, a levar a melhor.

Foi assim por duas voltas, até que à terceira Luís Barros bate nos rails. Aparentemente algo terá falhado no Porsche, que perde aceleração à saída de uma curva rápida. João Pedro Silva não conseguiu evitar o toque e o Porsche de Barros saiu, embatendo nos rails.

O safety car entrava em pista, enquanto o Porsche era retirado e o asfalto limpo por haver óleo na chicane do final de Mateus.

Ainda com safety car em pista, Joaquim Soares desistia. O motor calava-se e o Lotus ficava parado no circuito.

Retomada a prova e havia um par de voltas para resolver a prova. João Macedo e Silva arrancou na frente, seguido pelos Escorts que rodavam “colados”. Joaquim Jorge levava a melhor sobre Rui Azevedo e Rui Costa. OS H75 ficavam decididos a favor do homem do Porsche.

Filipe Matias comandava os H71, era o quinto. Entretanto Rómulo Mineiro ultrapassava-o depois de um “duelo” interessante de seguir. Mineiro vencia o Grupo 5 e Matias confirmava a vitória nos H71.

Fernando Xavier (VW Sirocco) terminava atrás do segundo Grupo 5, o Lotus Elan de Alexandre Guimarães, e ganhava os H81. Nos H65 a vitória foi posse de João Carlos Vieira (Karmann Ghia)

vilareal joaosilva2 João Macedo e Silva (Porsche 911 RSR)

vilareal classicos2

CPVC 1300

Luís Alegria (Datsun 1200) venceu uma prova animada, em que os 1300 rodaram juntos. No final, Alegria, que venceu os H75, conseguiu ganhar uma distância de 15 segundos sobre o melhor H71, o Austin Mini Cooper S de João Pedro Peixoto, que tinha que se defender de Carlos Cruz, que tentava “roubar” a primazia nos H71 de Peixoto.

Carlos Santos (Datsun 1200) era o segundo H75, quarto dos 1300. Filipe Nogueira (Morris Mini 1275 GT) encerrava o grupo dos seis da frente.

vilareal luisalegria1 Luís Alegria (Datsun 1200)

vilareal luisalegria2 Luís Alegria (Datsun 1200) e José Castro (VW 1303)

CPVL

Luís Barros (Ford Sierra RS500) e Vasco Barros (Mercedes 190E DTM) partiram na frente. Paulo Sousa (BMW M3) no arranque deu um ar da sua graça, partiu bem, pressionou, mas os homens frente foram-se afastando e dominaram a corrida.

Com o evoluir da prova, vários grupos iam criando diversos focos de atenção e um ou outro carro apresentavam sinais disso. Um bom exemplo eram os Fiat Punto de Pedro Sousa e de Manuel Fernandes, que disputavam o Desafio Único FEUP2.

Nos FEUP 3 a discussão era semelhante. Mas com o evoluir da corrida, Raúl Delgado ia-se distanciando e deixava os adversários, a discutirem os postos secundários. Hélder Moura fazia parte do grupo até que consolidava a segunda posição.

Entretanto, na frente da corrida, António Barros (BMW M3), Paulo Sousa (BMW M3) e Pedro Alves (Citroen Saxo) estavam envolvidos numa discussão interessante, mas destes apenas Alves chegaria ao fim.

No fundo da recta de Mateus, Pedro Carvalho teve um acidente aparatoso, mas felizmente sem consequências para o piloto. O Fiat Punto saiu de frente para a barreira, na esquerda muito rápida que antecede a chicane de Mateus, capotou duas vezes e imobilizou-se do lado esquerdo da pista.

O acidente motivou a entrada do safety car e pouco depois era mostrada a bandeira vermelha.

Luís Barros teria sido o primeiro a cortar a meta, se a corrida tivesse terminado de forma normal e venceu a categoria L90. Vasco Barros terminou a seguir, ganhou a Especial e José Meireles (Toyota Carina E) foi o vencedor, suado, da L99/2000, sempre com grande pressão por parte de Hernâni Conceição.

Raúl Delgado venceu os FEUP3 e Pedro Sousa ganhou nos FEUP2.

vilareal barros domingo Luis Barros (Ford Sierra RS 500), foto de: NunOrganista

vilareal legends partida dom

vilareal delgado dom

49º Circuito de Vila Real - Sábado

Em Vila Real cumpre-se o segundo de três dias de corridas. Esta é a terceira jornada de Racing Weekend, que pontua para o Campeonato de Portugal de Velocidade Clássicos (CPVC), Campeonato de Portugal de Velocidade Clássicos 1300 (CPVC 1300), Campeonato de Portugal de Velocidade Legends (CPVL) e é a segunda jornada de 2018, do Campeonato de Portugal de Velocidade Turismo (CPVT), TCR Portugal e Supercar, que correm juntos.

vilareal meninas vilareal grelha ps

CPVT - TCR Portugal, Supercar

Pedro Salvador (Seat Leon Cupra TCR) dominou a prova, que ficou marcada pelo enorme duelo travado entre Rafael Lobato (Peugeot 308 TCR) e Armando Parente (VW Golf GTI TCR) e em que os pneus dianteiros do carro alemão ditaram o resultado.

Nos Supercar a vitória foi para Pedro Lisboa (VW Golf R35) venceu depois de conseguir levar, a custo, a melhor sobre Paulo Martins (Nissan 350 Z) e Joaquim Santos (Seat Leon Eurocopa).

Resumo volta a volta

  • Volta de formação

Manuel Gião (Kia Cee´d TCR) ficou parado, mas conseguiu voltar a colocar o carro em marcha.

  • Partida

Pedro Salvador arrancou bem. José Correia falhou o arranque e o Nissan Nismo GTR GT3, demorou a arrancar. Francisco Carvalho (Audi RS3 LMS) teve que contornar o Nissan.

Na direita que dá acesso à subida de Abambres, Gustavo Moura foi surpreendido por Fábio Mota, que tinha metido a frente do Peugeot 308 Cup. O toque foi inevitável e o Audi RS3 LMS de Moura ficava pelo caminho.

Armando Parente (VW Golf GTI TCR) passou Rafael Lobato (Peugeot 308 TCR)

Manuel Gião a subir para o quinto posto, atrás Francisco Carvalho

Joaquim Santos (Seat Leon Eurocup) era o líder dos Supercar, seguido por Pedro Lisboa (VW Golf R35), que trazia Paulo Martins (Nissan 350 Z) a pressionar.

  • 2ª volta

Pedro Salvador distanciava-se duas décimas de Armando Parente e Rafael Lobato estava por sua vez a duas décimas do Golf.

  • 3ª volta

Álvaro Parente a defender-se de Rafael Lobato, que pressionava forte.

Paulo Martins passou Pedro Lisboa

  • 4ª volta

Pedro Lisboa passou Paulo Martins

  • 5ª volta

Pedro Salvador aproveitava a batalha pelo segundo posto e distanciava-se dos adversários.

Armando Parente falhou travagem para Chicane no fundo de Mateus

José Correia bateu à entrada do circuito novo.

João Sousa (Seat Leon) seguia em ritmo lento para a box e desistia. O líder dos TCC, ficava fora de prova.

  • 6ª volta

Joaquim Santos perdia a liderança dos Supercar, despois de ser ultrapassado por Pedro Lisboa e Paulo Martins.

  • 7ª volta

Rafael Lobato a pressionar Armando Parente, chegam a estar lado a lado, mas Parente manteve o segundo posto.

Francisco Carvalho era quarto e Manuel Gião quinto

  • 8ª volta

Parente teve uma ligeira saída de frente e Lobato “colou-se” mais.

  • 9ª volta

Pedro Salvador rodou em 2m 04,182s e assinou a melhor volta de corrida.

Nas dobragens Rafael Lobato perdeu tempo atrás do Nissan 300ZX de Paulo Martins

Armando Parente afastou-se.

Pedro Lisboa era o primeiro Supercar, seguido por Paulo Martins, Joaquim Santos

  • 11ª volta

Saída larga de Parente, Rafael Lobato aproveitava para se colocar lado a lado, rodaram assim por vários metros mas desta vez Lobato levava a melhor.

  • 12ª volta

Pedro Salvador cortou a meta um segundo antes de terminar a corrida e isso originou mais uma volta.

Rafael Lobato quase perdia controlo do Peugeot.

vilareal salvador sabado Pedro Salvador (Seat Leon Cupra TCR), foto de: NunOrganista 

vilareal parente lobato sabado Armando Parente (WV Golf GTI TCR), com Rafael Lobato (Peugeot 308 TCR) ainda em terceiro.

vilareal lisboa sabdo Pedro Lisboa (VW Golf R35), foto de: Nuno Organista

  • Classificação final: 

Pedro Salvador venceu, com uma vantagem de 14,573 s sobre Rafael Lobato e 16,361s sobre Armando Parente. Francisco Carvalho foi terceiro, seguido por Manuel Gião. 

Pedro Lisboa ganhou nos Supercar e simultaneamente o melhor "turismo" com uma vantagem de 2,368s sobre Paulo Martins, o melhor GT. Joaquim Santos encerrou o pódium dos Supercar.

Disseram os vencedores

Pedro lisboa

"Correu bem, acabei em primeiro. Foi esperar, foi uma corrida de gestão, esperar que as coisas acontecessem e correu bem."

"As lutas foram engraçadas, com o Joaquim e com o Paulinho, foi divertido."

vila real supercars podium Pódium dos Supercar

Pedro Salvador

"Correu tudo muito bem e o balanço é extremamente positivo. Foi uma boa partida, ganhei logo uma vantagem no arranque e a partir daí foi uma prova a dar o máximo, obviamente, sempre constante em todas as voltas. Ganhar uma vantagem cada vez maior para a concorrência. Realmente é um balanço extremamente positivo, estou extremamente satisfeito com o resultado mas já com a mente focada na corrida de amanhã."

vila real tcr podium Pódium do CPVT

CPVC

Luis Barros arrancou na frente, mas Macedo e Silva estava apostado em não ser segundo. Pressionava e quase no fim da primeira volta assumia a o comando. Depois, os dois Porsches na frente afastavam-se da concorrência.

Joaquim Jorge e Rui Azevedo ficavam a discutir o terceiro posto, numa luta de Ford Escort´s RS1600. Lá mais atrás vinha outro Escort, o de Rui Costa.

Macedo e Silva, numa dobragem falhou uma chicane, Barros aproveitou para ganhar algum do tempo. Algo não estava bem no Porsche 930 Turbo, pois a roda traseira esquerda rodava no paralamas.

Ponto de interesse era, como já é hábito, a luta pelos H71, com os homens dos Lotus Elan, Joaquim Soares e Filipe Matias a serem os protagonistas de uma luta interessante de seguir.

No Grupo 5 as coisas eram semelhantes. Rómulo Mineiro (Ford Escort RS2000) defendia-se de Alexandre Guimarães (Lotus Elan).

Com a corrida a meio, era necessário entrar o safety car. Primeiro era o tête do Karmann Ghia de João Carlos Vieira, Macedo e Silva tocava-o, gerava-se alguma confusão e o safty car entrava.

Retomada a corrida, toda a gente estava de novo a rodar de forma compacta e aluta pelos H71 terminava mais cedo do que o previsto e com ela a prova. Um toque tipo choque em cadeia provocava a "confusão". Para evitar um embate, Joaquim Soares, atravessava-se e não conseguia evitar o Datsun 1200 de Luís Sousa e Costa, que estava a ser dobrado, Filipe Matias era apanhado pela traseira do Lotus, por um triz via-se envolvido na confusão e a bandeira vermelha era mostrada.

João Macedo e Silva vencia e era o melhor dos H75, seguido pelo vencedor dos H81, Luís Barros.

Como a corrida terminou com bandeira vermelha, a classificação atribuída foi a da volta anterior e por isso Joaquim Soares venceu os H71. Rómulo Mineiro foi o melhor do Grupo 5

vilareal classicos partida1 vilareal macedosilva corrida1 João Macedo e Silva (Porsche 911 RSR) Luís Barros (Porsche 930 Turbo), fotos: NunOrganista

CPVC 1300

Luís Alegria (Datsun 1200) voltou a dominar o panorama dos 1300. Conseguiu escapar às restantes lutas e até se foi intrometer nos Grupo 5 e H81, com um 1300 dos H75.

Logo após quatro pilotos rodaram em conjunto e acabaram completamente colados, pois recorde-se que, primeiro, o safety-car e depois a bandeira vermelha, complicaram as contas de todos.

Assim, Bruno Pires (Datsun 1200) acabou foi o segundo, melhor H71, com um final de corrida de arrepiar, pois João Pedro Peixoto (Mini Cooper S) rodava a meio segundo, seguido de muito perto por Carlos Cruz (Datsun 1200) e Filipe Nogueira (Morris Mini 1275 GT). Paulo Miguel encerrou o grupo dos seis da frente.

Após o final da prova, Luís Alegria recebeu uma penalização de 40 segundos, por irregularidades de andamento, enquanto o safety-car esteve em pista. Manteve a vitória nos H75.

 vilareal alegria corrida1 Luís Alegria (Datsun 1200), foto: NunOrganista

CPVL

Começo de corrida animado nos Legends, com Vasco Barros (Mercedes 190E DTM) a começar na frente, mas antes ainda da primeira volta terminar, tinha sido batido pela concorrência, leia-se pelo pai, Luís Barros (Ford Sierra Cosworth RS500). Estes eram os comandantes, respectivamente das categorias L90 e Especial.

Paulo Sousa e António Barros, faziam uma espécie de competição monomarca com os BMW M3, mas curiosamente tinham um problema chamado Pedro Alves, que com o Citroen Saxo não descolava. Alves era simultaneamente o melhor L99/2000, à frente de José Meireles (Toyota Carina E).

Luís Delgado estava comodamente na liderança do Desafio Único FEUP3, tanto mais que entre o respectivo Alfa-Romeo 156 e o de Hélder Moura, andava o Citroen Saxo de Augusto Soares.

Nos FEUP 2 Pedro Sousa tinha mais trabalho, tanto mais que Pedro Pinto, rodava quase para-choques de Fiat Punto, com para-choques de Fiat Punto.

Bandeira amarela e safty em car em pista, por duas vezes. Da primeira porque o Honda Civic de Nuno Basílio, tinha ficado parado na pista. Depois porque o Alfa-Romeo 156 de José Monteiro estava imobilizado na sequência de um toque.

No retomar da prova Luís Barros recomeçou na frente. Paulo Sousa assumiu a posição, mas Vasco Barros não estava para ser terceiro e passou-o logo de seguida. Depois era a vez de “atacar” o pai e Vasco assumia a liderança da corrida e era um destacado comandante da categoria Especial.

Luís Barros vencia a L90, à frente de Paulo Sousa, que era quem ganhava a L99. Pedro Alves ainda ultrapassava António Barros, era o quarto a cortar a meta e o melhor L99/2000.

Nos FEUP 3, Luís Delgado confirmou a vitória e nos FEUP 2 foi Pedro Sousa quem ganhou.

vilareal delgado sabado Vasco Barros (Mercedes 190E DTM) Luis Barros (Ford Sierra RS500)

vilareal punto sabado Luis Delgado (Alfa-Romeo 156), fotode: Nuno Organista

vilareal vasco luis barros Pedro Sousa (Fiat Punto), foto de: Nuno Organista

49º Circuito de Vila Real - Sexta-feira

logo racing weekend 2018

Vila Real recebe a terceira jornada de Racing Weekend 2018, segunda pontuável para o Campeonato de Portugal de Velocidade Turismo e Supercar. Hoje, sexta-feira, é primeiro de três dias, em que a Velocidade Nacional corre nas ruas da cidade transmontana.

O programa de hoje foi totalmente preenchido com treinos e sessões de qualificação, para o Campeonato de Portugal de Velocidade Turismo, Supercar, Campeonato de Portugal de Velocidade Clássicos e Clássicos 1300 e Campeonato de Portugal de Velocidade Legends.

vilareal sexta 

CPVT + Supercar

1ª Qualificação

Pedro Salvador (Seat Leon Cupra TCR) rodou em 2m 04,525s o que lhe deu a pole-position para a primeira corrida do fim-de-semana. Sessão muito discutida, em que Rafael Lobato (Peugeot 308 TCR) estava igualmente apostado em fazer o melhor tempo, tanto mais que à porta de casa é sempre mais interessante, mas ficou a duas escassas décimas e fica também a promessa de uma corrida muito disputada.

Armando Parente (WV Golf GTI TCR) evoluiu os tempos até à marca de 2m 05,696s, mais 1,1 segundos do que a pole-position.

José Correia (Nissan Nismo GTR GT3) fez o quarto melhor tempo da geral, com 2m 06,806s foi o mais rápido nos Supercar, batendo mesmo os Audi RS3 LMS de Gustavo Moura e de Francisco Carvalho, ambos TCR:

Nos Supercar seguiu-se Fábio Mota (Peugeot 308 TCR) e João Sousa (Seat Leon) foi o melhor do TCC, com o oitavo tempo da geral.

Manuel Gião foi uma ausência notada. O Kia Cee´d TCR, com problemas eléctricos não pegou, o que o impossibilitou de fazer a qualificação.

Nos Supercar um problema de caixa, colocou Gonçalo Manahu fora da qualificação.

vilareal salvador sexta Pedro Salvador (Seat Leon Cupra TCR), Foto por: NunOrganista

vilareal jcoreia sexts José Correia (Nissan Nismo GTR GT3), Foto por: NunOrganista

2ª Qualificação

Pedro Salvador regressou à pista para baixar o tempo da primeira qualificação e marcou 2m 04,302s.

Francisco Carvalho (Audi RS3 LMS) evoluiu muito bem nesta sessão e colocou-se no segundo posto, a 32 centésimas da marca de Salvador.

Gustavo Moura (Audi RS3 LMS) foi outro piloto que evoluiu melhor do que a concorrência e colocou-se no terceiro lugar da grelha a 1,9 segundos. José Cautela (VW Golf GTI TR) aproximou-se da marca do piloto do Audi e fez a quarta marca.

Quando tudo parecia resolvido, a três minutos do fim, Francisco Abreu (Peugeot 308 TCR), que não começou o dia da melhor forma, com um toque logo no início dos treinos livres, realizou uma volta rápida em 2m 05,433s que o colocou a 1,1s do melhor tempo, na terceira posição da grelha para a segunda corrida.

Moura e Cautela baixaram uma posição, passando para quarto e quinto, respectivamente.

Nos Supercar, Daniel Teixeira (Seat Leon Supercup) realizou o melhor tempo, 2m 07,743s, sexto da geral, depois de uma grande “luta” com Fábio Mota (Peugeot 308 Cup). Logo após, rodou José Correia.

As ausências de Manuel Gião e de Gonçalo Manahu repetiram-se, pois os carros não ficaram prontos a tempo.

A sessão terminou cerca de dois minutos mais cedo do que previsto, pois foi necessário repor alguns elementos da chicane do fundo de Mateus, no devido lugar.

vilareal sousa sexta João Sousa (Seat Leon), Foto por: NunOrganista

CPVLegends

Foi uma espécie de “questão familiar”, a discussão da pole-position para a primeira corrida do fim-de-semana.

Foram 46 centésimas que separaram Luis Barros (Ford Sierra Cosworth RS500) do seu filho Vasco, que no Mercedes 190 DTM, faz a melhor marca da sessão, com 2m 13,444s a arrumou a seu favor a questão da “pole”.

Em termos de categorias Vasco Barros ficou também com a melhor marca da “Especial” e o pai foi o melhor da L90.

Logo atrás discutiu-se a primazia no L99, com Paulo Sousa (BMW M3) a rodar em 2m 17,429s e a bater António Barros (BMW M3) por oito décimas. Logo após, oito centésimas mais lento (!) rodou o melhor L99/2000, o Citroen Saxo de Pedro Alves.

Os irmãos Delgado, Luís e Raúl, foram os mais rápidos nos Alfa-Romeo 156 do Desafio Único FEUP 3. Nos FEUP 2 a melhor marca foi para Pedro Sousa, em Fiat Punto.

António Castro e Manuel Mota (VW Golf GTI) foram os mais rápidos entre os L900/2000.

vilareal vbarros sexta Vasco Barros (Mercedes 190 DTM), Foto por: NunOrganista

CPVClássicos

Luís Barros (Porsche 930 Turbo) travou um duelo de tempos com João Macedo e Silva (Porsche 911 RSR), discutiram a pole position mas também a primazia entre os H81 e os H75, respectivamente. Barros fez a melhor volta em 2m 13,513 e Macedo e Silva em mais 1,8 segundos.

Nos H71 a melhor marca (2m 18,167s) foi posse de Filipe Matias e como é hábito, Joaquim Soares foi o principal adversário, no fundo mais um episódio da “luta” dos homens dos Lotus Elan

Rómulo Mineiro (Ford Escort RS2000), com a marca de 2m 22,755s foi o mais rápido no Grupo 5. No H81 o melhor tempo foi para Fernando Xavier (VW Sirocco), depois de uma luta bem animada com o outro carro idêntico, tripulado por Filipe e Carlos Rodrigues, que aqui fazem a homenagem ao seu pai (Carlos Rodrigues) recentemente desaparecido.

João Carlos Vieira (Karmann Ghia) é o melhor H65.

vilareal lbarros sexta Luis Barros (Porsche 930 Turbo), Foto por: NunOrganista

CPVCLássicos 1300

Luís Alegria (Datsun 1200) foi o mais rápido dos 1300, com a marca de 2m 31,173s. Este tempo deu-lhe uma vantagem de 3,171 segundos sobre a concorrência, Carlos Santos (Datsun 1200). Ambos carros dos H75.

João Pedro Peixoto (Austin Cooper) fez o terceiro tempo, melhor H71 e está na frete de um grupo com andamentos muito semelhantes. Bruno Pires (Datsun 1200), Filipe Nogueira (Morris 1275 Gt) e Carlos Cruz (Datsun 1200), rodam separados por escassas décimas de segundo.

NunOrganistA 88 Luís Alegria (Datsun 1200), Foto por: NunOrganista

As corridas vão ser disputadas amanhã e Domingo.

 

Francisco Mora focado no Europeu

logo racing weekend 2018

Francisco Mora não vai alinhar  na prova do Campeonato de Portugal de Velocidade Turismo, pois está completamente focado no TCR Europe onde actualmente se encontra com 19 pontos no campeonato.
 
Após terem sido disputadas seis corridas  das 14 do TCR Europe, Francisco Mora reforça que "é neste campeonato que quero evoluir e representar bem a Hyundai e Portugal. Espero ainda este ano dar muitas alegrias a Portugal, à Hyundai e a toda a equipa que comigo trabalha." Salientou Francisco Mora.
 
A próxima jornada de Francisco Mora vai ter lugar na Hungria, em Hungaroring, em sete e oito de Julho.
 
Recorde-se que Vila Real acolhe, já no próximo fim-de-semana, mais uma jornada de Racing Weekend, que pontua para o Campeonato de Portugal de Velocidade Turismo, Supercar, Campeonato de Portugal de Velocidade Clássicos, Campeonato de Portugal de Velocidade Clássicos 1300 e Campeonato de Portugal Legends, que reune 87 concorrentes.
2018 2018 Zandvoort Race 2 2018 TCR Europe Zandvoort R2 26 Francisco Mora 96 Francisco Mora (Hiunday i30N TCR) - Arquivo Zanvoort 2018
NunOrganistA 21 Circuito de Vila Real (Arquivo 2017 - Foto NunOrganista)
 
 

Vila Real está à porta

logo racing weekend 2018

Ao todo 88 concorrentes irão alinhar das provas de Racing Weekend, já no próximo fim-de-semana, em Vila Real.

O Campeonato de Portugal de Velocidade Turismo, juntamente com os Supercar, arrancou há quase um mês em Braga. Em Maio passado assistimos a duas corridas extremamente interessantes e a uma jornada em que os Clássicos, Clássicos 1300 e Legends, tiveram mais um encontro. Em Trás-os-Montes, espera-se algo semelhante ao que aconteceu na cidade dos Arcebispos, mas melhor ainda.

Melhor ainda, porque há mais concorrentes, novos projectos e um ou outro regresso para abrilhantar a festa.  

Começando pelo Campeonato de Portugal de Velocidade Turismo (CPVT), que novamente recebe os Supercar e que promete juntar 14 concorrentes em pista. 

Nos TCR é quase impossível falar de favoritos e Braga foi um bom espelho disso. É certo que Armando Parente e Pedro Salvador dividiram as vitórias, mas é também certo que Francisco Mora é sempre um piloto que temos que ter em conta, é o bi-campeão em título, é também certo que Manuel Gião onde está é com vontade de vencer, que Francisco Carvalho tem créditos igualmente firmados, que José Cautela provou ser rápido e que Gustavo Moura, não fora um toque nos treinos, certamente teria tido um outro desempenho. Por fim, não por último, Rafael Lobato o detentor do record da pista, que é praticamente à porta de casa, não poderia nunca ficar fora destas contas.

Sem sair do tema do CPVT, de referir que João Sousa continua a apostar nos TCC  vai alinhar com o Seat Leon.

Depois os Supercar e mais uma vez a promessa de interesse redobrado para a corrida. Em Braga José Correia evoluiu muito bem com o Nissan Nismo GT-R, mas por outro lado, também a dupla Joaquim Santos e Daniel Teixeira esteve em muito bom plano. Para juntar mais uma pitada de emoção, Gonçalo Manahu regressa de Porsche à pista onde ganhou no ano passado.

Os Clássicos e Clássicos 1300 voltam a correr juntos e a lista de inscritos junta 36 pilotos. Aqui, um regresso, o de Luís Barros, que está inscrito, mas ainda sem ter carro definido. A incógnita é: terá João Pedro Silva um adversário com Porsche, ou terá a “armada” Ford Escort mais um elemento?

No Campeonato 1300 José Fafiães vai voltar a dividir o MG Midget com Paulo Miguel, uma equipa que poderá bater o pé aos Datsun 1200 de Luís Alegria, de Carlos Cruz, de Fernando Charais, de Bruno Pires, ou ao Mini de Filipe Nogueira.

Nos Legends a promessa de 42 concorrentes, ou 51 pilotos, empenhados em discutir as várias classes, tal como nos clássicos acontece. Em termos de regressos, a Luís Barros, junta-se Vasco Barros e com eles vêm os Ford Sierra Cosworth RS500 e o Mercedes 190E 2.3 DTM, respectivamente.

O programa abre já na sexta-feira, às 9,30 da manhã, com a realização dos primeiros treinos livres dos TCR Portugal, CPVT e Supercar.

NunOrganistA 21

meninas karmann ghia

Fotos: NunOrganista (Vila Real arquivo 2017)