TCR Ibérico - Prova catalã anulada

Full Eventos está a envidar esforços para substituir as corridas inicialmente previstas para Montmeló.

Devido ao reduzido número de inscritos na prova de Barcelona, prevista para o Circuito de Montmeló, e na impossibilidade de realizar duas corridas sprint de 25 minutos cada com apenas cinco inscritos, a alternativa possível passaria por integrar a corrida de endurance da competição espanhola "CER" (Copa Espanhola de Resistência), criando duas classificações para a Taça Ibérica de TCR, uma ao minuto 45' e outra ao minuto 90.

Ora esta solução desvirtuaria toda a essência da competição, tanto mais que a maioria dos carros não está preparada para corridas com esta duração, o que

levou a maioria dos participantes a estarem de acordo com os promotores no imediato cancelamento da prova catalã.

Face a esta situação, a FULL Eventos, a pedido dessa maioria de participantes, está a estudar alternativas, para que a Taça Ibérica de TCR não fique amputada em uma prova. Os promotores fizeram uma proposta às entidades oficiais para a realização de uma prova substituta, em Portugal, em data conveniente a todos os participantes.

portimao mora giao

Circuito de Braga - Domingo

O Circuito Vasco Sameiro, em Braga, acolheu mais uma jornada Racing Weekend, com corridas a pontuarem para o Campeonato Nacional de Velocidade Turismos (CNVT), TCR Portugal, Campeonato Nacional Legends (LCC), Campeonato Nacional de Clássicos Circuitos (CNCC) e Campeonato Nacional de Clássicos Circuitos 1300 (CNCC 1300). 

No Campeonato Nacional de Velocidade Turismos, TCR Portugal, Francisco Mora (Seat Leon TCR) venceu a primeira corrida do dia (corrida 3) e foi segundo na segunda (corrida 4 do fim-de-semana), dessa forma será já o Virtual Campeão nacional de Velocidade de 2017. Na última corrida do dia Edgar Florindo (Seat Leon TCR), foi quem subiu ao mais alto do pódium.

cnvt podium3 Podium 3ª corrida  braga podium2 Podium 4ª corrida

CNVT - TCR Portugal

3ª corrida

Francisco Mora (Seat Leon TCR) venceu a terceira corrida do fim-de-semana, depois de a dominar de fio a pavio. O segundo posto foi posse de Edgar Florindo (Seat Leon TCR), que comandou um grupo bem animado, em que se discutiram as restantes posições do pódium.

Partida: Francisco Abreu (VW Golf) falhou a partida. Francisco Mora (Seat Leon TCR) aproveitou para logo aqui ganhar distância. Edgar Florindo e Cesar Machado passaram para segundo e terceiro, respectivamente. Patrick Cunha (Audi RS3 LMS) teve uma saída na recta, na sequência de um toque e ao regressar à pista tocou no Golf de Francisco Abreu. Gustavo Moura (Seat Leon TCR) foi também “apanhado” na confusão.

2ª volta: Patrick Cunha subiu para o terceiro lugar.

3ª volta: Francisco Mora faz a melhor volta, em 1m 24,304s. No fim da recta da meta Francisco Abreu pressiona Cesar Machado e ganha a posição.

5ª volta: Francisco Mora rodava em primeiro destacado. O segundo posto era discutido por Edgar Florindo, Patrick Cunha e Francisco Abreu, que rodavam completamente colados.

8ª volta: Edgar Florindo destacou-se de Patrick Cunha, que tinha perdido tempo numa travagem. Francisco Abreu passou a pressionar Patrick Cunha. Gustavo Moura teve uma saída nos SS e foi à box.

9ª volta: Francisco Abreu perdeu tempo na travagem para a chicane. Gustavo Moura regressou à pista.

12ª volta (final): Francisco Mora venceu, com 6,256 segundos de vantagem sobre Edgar Florindo. Patrick Cunha foi terceiro, com mais 8,9 segundos. Francisco Abreu terminou a 0,44 segundos, na quarta posição. Quinto posto para César Machado, seguido por João Carvalho, João Sousa e Gustavo Moura.

braga cnvt partida Partida braga mora Francisco Mora (Seat Leon TCR)

Disse o vencedor - Francisco Mora

"Foi praticamente igual às outras, tínhamos a estratégia delineada desde sexta-feira, desde quando experimentamos os setups e simulamos as corridas: era tentar ao máximo puxar nos primeiros 5/10 minutos para criar uma boa vantagem. Toda a gente podendo, também gosta de fazer isso, nós trabalhamos para isso e felizmente até agora temos conseguido seguir a estratégia que temos delineado e foi bastante bom, criei uma boa vantagem nas primeiras 7 voltas e a partir daí foi gerir para poupar para a ultima corrida, que também é o problema deste fim de semana, é ter 4 corridas neste circuito, é bastante complicado para os pneus, temos de fazer uma boa gestão e não podemos forçar a corrida toda senão na ultima corrida vamos sofrer muito e é isso que eu estou a fazer. Tenho ganho mas também pensado na corrida sempre a seguir e para já tem corrido bem, espero que na próxima corrida consiga ganhar outra vez que é para ser praticamente campeão aqui em Braga"

4ª corrida

Edgar Florindo (Seat Leon TCR) venceu a quarta corrida, que geriu de forma irrepreensível, tendo-se aproveitado das lutas pelo segundo posto, travadas entre Francisco Mora (Seat Leon TCR) e Rafael Lobato (Audi RS3 LMS).

Florindo confessou ter guardado os pneus novos para esta corrida para que dessa forma pudesse lutar pela vitória e pelos vistos a aposta foi acertada.

Com o segundo posto, Francisco Mora será virtualmente Campeão, a uma jornada quádrupla do fim da época.

Partida: Edgar Florindo partiu muito bem da segunda posição da grelha. César Machado (Seat Leon TCR) foi também muito rápido na partida. Os três da frente chegaram à primeira curva com Francisco Mora por fora a baixar para terceiro.

Edgar Florindo ganhava uma vantagem ligeira sobre César Machado, Mora rodava completamente colado. Rafael Lobato encostava-se no grupo da frente.

1ª volta: Francisco Abreu (WV Golf TCR) ganhava um lugar a Eduardo Leitão (Seat Leon DSG TCR). Francisco Mora pressionava Cesar Machado e Rafael Lobato tentava ganhar a posição.

2ª volta: Gustavo Moura (Seat Leon TCR) falha a travagem para a curva 1 e quase sai de pista. Na curva do gatilho, Francisco Mora passa Cesar Machado.

3ª volta: Edgar Florindo ganhava cerca de dois segundos de vantagem sobre os perseguidores: Francisco Mora, Rafael Lobato e César Machado, que rodam com os para-choques encostados. Francisco Abreu recuperava posições até ao quarto posto.

5ª volta: Francisco Mora fez o melhor tempo de corrida, com 1m 25,950s.

8ª volta: Florindo perdia cerca de 1,5 segundos com uma saída ligeira. Francisco Mora “colava-se" ao líder, Lobato vinha mais atrás. Francisco Abreu ganhava o quarto posto a César Machado.

10ª volta (e seguintes): Francisco Mora e Rafael Lobato lutavam pelo segundo posto.

14ª volta (final): Edgar Florindo venceu, com 2,1s de vantagem sobre Francisco Mora. Rafael Lobato cortou a meta a par com Francisco Mora, mas foi terceiro por 23 centésimas. Francisco Abreu foi quarto, seguido por César Machado, seguido por Eduardo Leitão, Gustavo Moura e João Sousa, ao volante de um Seat Leon Supercopa, que venceu os TCR2.

braga cnvt florindo Edgar Florindo (Seat Leon TCR) braga cnvt mora lobato Os esforços de Rafael Lobato(Audi RS3 LMS), não impediram Francisco Mora (seat Leon TCR) de ser segundo e virtual Campeão de 2017.

Disse o vencedor - Edgar Florindo

"Melhor era impossível! Correu muito bem! Consegui fazer uma largada de foguetão, consegui ser muito rápido... era este o meu objectivo. Sabia que ia arrancar muito bem, não sabia era se os meus companheiros iam arrancar tão bem como eu, ou melhor. Consegui partir bem e depois nas duas primeiras voltas tentei andar mais rápido, porque desta vez levei pneus novos, foi esta a estratégia da equipa para tentar ganhar a última corrida. Nas duas ou três primeiras voltas tentei afastar-me do resto do pelotão mas depois tive uma ligeira saída de pista que me fez perder cerca de um segundo. O Francisco Mora conseguiu aproximar-se um bocadinho mas tive sempre em mente que os meus pneus iam prevalecer até ao fim, fui sempre concentrado até acabar a corrida. A vitória é nossa."

florindo telemovel2  florindo telemovel 

No final da corrida Edgar Florindo dedicou a vitória ao director desportivo da Speedy Motorsport, por video-chamada, pois Pedro Salvador não pôde estar no Circuito Vasco Sameiro, por motivos pessoais.

Campeonato Nacional Legends

1ª Corrida

Os homens dos Ford Sierra RS500 colocaram-se na cabeça da corrida. Luís Delgado partia da pole-position, João Novo “furava” da segunda linha e colocava-se em segundo. Discutiam-se os primeiros postos dos PH90. Paulo Sousa (BMW M3 E36) rodava próximo e liderava nos PH99.

A corrida definia-se na frente. Luís Delgado voava para ser o primeiro a cortar a meta, vencia os PH90 e João Novo era o segundo, distanciado e a controlar o andamento. Nuno Silva (BMW 325 ix) seria o terceiro PH90.

Nos PH99 Paulo Sousa era o líder, tanto mais que a oposição, encarnada por Pedro Alves (Citroen Saxo) acabaria a corrida a 34 segundos. Hernâni Conceição (Alfa Romeo 156) era terceiro.

Nos FEUP 3 a luta foi “dura” e Gonçalo Rodrigues só pode comemorar mesmo no fim. A vantagem do Alfa-Romeo 156 de Rodrigues, sobre o 156 de André Martins, que acabaria em segundo era de 1,3 segundos. Logo de seguida terminava Hélder Moura.

Nos FEUP 2, João Brandão tinha um início de corrida “duro”, mas terminaria com algum folga, onze segundos, sobre Miguel Rodrigues, que trazia José Cidrais a dois segundos e meio. Todos estes concorrentes estavam ao volante dos Fiat Punto.

Fernando Cabral (Citroen Saxo) venceu a Categoria Especial e Pedro Monteiro ganhou no 1300.

braga lcc partida Partida Legends. Luís Delgado na frente.

2ª corrida

Luís Delgado (Ford Sierra RS500) e João Novo (Ford Sierra RS500) voltaram a dominar a cabeça da corrida, desde a partida. Esta situação durou até à sétima volta, altura em que Luís Delgado teve que rumar à box com um furo no pneu traseiro direito.

Pouco depois João Novo perdia o comando da prova. O motor partia e a prova do Ford Sierra terminava por aí.

Paulo Sousa (BMW M3) ficava com o caminho aberto para vencer. Ganhava a corrida e os PH99. Pedro Alves (Citroen Saxo) era segundo, na categoria e na geral, seguido de perto por Fernando Cabral (Citroen Saxo), que era o vencedor da Categoria Especial.

Luís Delgado ainda conseguia terminar em quarto e dessa forma ganhava os PH90. Uma volta mais atrás cortava o segundo, Hugo Lisboa (BMW 325ix), seguido de Micael Batista (Peugeot 205 GTI).

Nos FEUP 3 voltamos a assistir a um início de corrida impressionante com os oito Alfa-Romeos 156 a rodarem em pelotão compacto. Como evoluir das voltas, André Martins consolidou a primeira posição, à frente de António Ferreira e de José Monteiro.

Nos FEUP 2 Pedro Sousa levou a melhor. Também aqui houve um início de corrida bem animado, mas para o fim a distância entre o primeiro e o segundo, Marco Félix, foi da odem dos 20 segundos. Pedro Carvalho foi o terceiro dos Fiat Punto.

Resta a 1300 e mais uma vez Pedro Monteiro (Peugeot 106) ganhou.

braga cml2 Paulo Sousa (BMW M3)

CNCC 1300

1ª corrida

Luís Alegria (Datsun 1200) e José Fafiães (Datsun 1200) dividiam a primeira linha da grelha de partida. Ao ligar do semáforo, Fafiães estava na frente, mas Alegria rodava colado, pouco depois invertiam-se as posições e antes ainda de se concluírem duas voltas, Fafiães regressava ao comando.

Se era assim na frente, o terceiro posto não era pior. Arnaldo Marques (Datsun 1200) trazia o Mini de Filipe Nogueira completamente colado à traseira e a luta pelo mais baixo do pódium estava a dar óptimo espectáculo. Carlos Cruz (Datsun 1200) aproveitava para se colar a este grupo.

Entretanto o motor do Mini de Nogueira começava a não dar todo o rendimento necessário, Cruz ganhava um lugar e uma volta depois o Mini ficava fora de combate.

Na frente continuava a luta Fafiães/Alegria pelo primeiro lugar. Era assim, com a corrida a meio, altura em que também começavam a acontecer as primeiras dobragens.

No grupo dos seis da frente, entravam João Braga (Datsun 1200) e Fernando Carneiro (Mini 1275 GT), que regressou à actividade depois de um período de paragem.

Já quase com a meta à vista, a luta pela liderança intensificava-se e José Fafiães tinha se aplicar para “aguentar” Alegria no segundo lugar. Esta luta foi assim até ao momento em que um pião de Fafiães arrumou a questão a favor de Luís Alegria, que ganhava a corrida e os H75, à frente de José Fafiães.

Arnaldo Marques era o terceiro a cortar a meta e o melhor dos H71, à frente de Carlos Cruz.

João Braga foi quinto, terceiro H75 e Paulo Miguel (MG Midget) conseguiu o restante lugar do pódium dos H75, depois de na fase final da corrida ganhar uma posição a Fernando Carneiro.

Abel Marques (Autobianchi A112 Abarth) ganhou a Taça 1000. Rui Castro e Luís Costa levaram os Datsun 1200 ao primeiro e segundo postos dos Grupo 1, respectivamente.

braga cncc1300 alegria Luis ALegria (Datsun 1200) braga cncc1300 José Fafiães e Luís Alegria

2ª corrida

O início da segunda corrida, foi em tudo semelhante ao início da anterior. José Fafiães (Datsun 1200) e Luís Alegria (Datsun 1200) voltaram a colocar-se na dianteira e a travar uma espécie de guerra sem quartel pelo primeiro lugar.

Arnaldo Marques (Datsun 1200) era o terceiro, mas uma saída de frente na chicane atrasava-o deixava o caminho aberto para que Carlos Cruz passasse para terceiro.

João Braga (Datsun 1200) rodava em quarto, seguido de muito perto por Fernando Carneiro (Morris Mini 1275 GT).

A três minutos do fim, José Fafiães, teve uma saída um pouco mais larga, que o levava à terra, perdia tempo e logo depois saia mesmo de pista. Luís Alegria seguia para uma vitória certa, tanto mais que Fafiães perdia quase 20 segundos, com a saída. Perdi a liderança, mas ainda mantinha o segundo posto.

Luís Alegria e José Fafiães dominaram assim a corrida e os H75. Carlos Cruz (Datsun 1200) foi terceiro a cortar a meta, e venceu os H71. João Braga foi quarto à geral, terceiro nos H75. Fernando Carneiro terminou em quinto, à frente de Paulo Miguel (MG Midget), segundo dos H71.

Ruis Castro e Luís Costa, ambos em Datsun 1200, foram respectivamente primeiro e segundo classificado no Grupo 1.

CNCC

1ª corrida

João Pedro Silva (Porsche 911 RSR) foi “engolido” pela armada Ford Escort na partida. Joaquim Jorge arrancava melhor, do segundo posto, mas Carlos Vieira, que até vinha um bocado mais de lá de trás assumia o comando na travagem para a primeira curva.

De seguida Joaquim Jorge lançava o ataque, que o colocava na frente da corrida. Rui Azevedo aproveitava a “boleia” e passava para segundo, enquanto Carlos Vieira ficava a defender-se de João Pedro Silva. Com quatro voltas corridas o homem do Porsche leva a melhor sobre o homem do Escort e João Pedro Silva era agora o terceiro.

A segunda metade da corrida era marcada por João Pedro Silva, que entrava em “modo de ataque” e ganhava primeiro o lugar de Rui Azevedo e de seguida o de Joaquim Jorge, que passava para segundo. No entanto, JJ não baixava os braços e rodava “colado” à traseira do Porsche. Só mesmo com o baixar da bandeira xadrez é que a classificação ficava definida.

Na geral já vimos que que João Pedro Silva venceu, com Joaquim Jorge em segundo e Rui Alves em terceiro. Esta foi também a classificação do H75.

Filipe Matias (Lotus Elan +2) venceu os H71 e beneficiou ainda da desistência de Carlos Vieira, com problemas no Ford Escort, para ser quarto da geral, à frente do vencedor do Grupo 5, Bernardino Silva (Ford Escort 2000) e de Duarte Fraga (Ford Escort MKII), também de grupo 5. Assim, o segundo posto dos H71 foi posse de Joaquim Soares (Lotus Elan).

No Grupo 3 a vitória foi de Gonçalo Jordão (Porsche 928). No Grupo 1 o vencedor foi João Cruz (BMW 323i) e Fernando Xavier ganhou nos H81.

braga cncc msilva João Pedro Silva (Porsche 911 RSR) seguido de Joaquim Jorge (Ford Escort)

2ª corrida

Desta vez João Pedro Silva levou o Porsche para a liderança, logo na partida e deixou os Ford Escort a discutirem o segundo posto.

Rui Alves começou na frente do grupo dos homens dos Escort, com Joaquim Jorge a rodar logo atrás. Entretanto Carlos Vieira ganha uma posição a JJ e logo de seguida passa para a frente de Rui Alves.

Carlos Vieira trazia Joaquim Jorge completamente colado, que lançava ataque após ataque e esta luta só acabaria a três voltas o fim, quando a caixa de velocidades do Escort de Vieira claudicava e JJ seguia para o segundo posto final.

Rui Alves beneficiava também dos problemas de Vieira, para subir ao mais baixo do pódium. Era assim na geral e nos H75.

Filipe Matias (Lotus Elan +2) voltou a vencer os H71, seguido por Joaquim Soares (Lotus Elan). João Vieira, nesta corrida sem problemas no Karmann Ghia, vencia nos H65.

No Grupo 5, Duarte Fraga (Ford Escort MKII) venceu, tendo batido José Teixeira (Austin Mini) por 14,2 segundos.

Henrique Jordão levou o Porsche 928 à vitória no Grupo 3 e João Cruz (BMW 323i) ganhou o Grupo 1.

braga cncc partida

Circuito de Braga - Sábado

O Circuito Vasco Sameiro em Braga é, este sábado, palco das sessões de treinos livres e cronometrados do Campeoanto Nacional de Velocidade Turismos (CNVT), TCR Portugal (TCR P), Campeonato Nacional de Clássicos Circuitos (CNCC) e Campeonato Nacional de Clássicos Circuitos 1300 (CNCC1300), assim como o Campeonato Nacional Legends (CNL).

No CNVT, TCRP estão agendadas as duas primeiras, das quatro corridas previstas no programa do Braga Racing Weekend.

CNVT

Treino Livre 1

Com uma volta em 1m23.528s César Machado (Seat Leon Cup Racer) foi o piloto mais rápido na primeira sessão de treinos livres, disputada esta manhã no Circuito Vasco Sameiro em Braga. Com os três mais rápidos separados por escassos 0.046s, Edgar Florindo (Seat Leon TCR) foi quem logrou terminar no segundo posto, não conseguindo bater o seu colega de equipa (Speedy Motorsport) por apenas 0.004s. O Audi RS3 LMS do Sporting Clube de Braga, de Rafael Lobato e Patrick Cunha ficou na terceira posição.

Entre os TCR2 o Seat Leon Supercopa de João Sousa e Rita Graça foi o mais rápida na abertura da jornada bracarense.

João Pedro Faria e João Batista não chegaram a colocar em pista o seu Kia Ceed, depois de verem o motor do carro Sul Coreano partir-se na tarde de ontem.

Treino Livre 2

César Machado voltou a colocar o seu Seat Leon Cup Racer no topo da tabela de tempos no segundo treino livre da jornada de Braga do Racing Weekend, melhorando em quase meio segundo o tempo conseguido na primeira sessão.

Francisco Mora (Seat Leon TCR), que não alinhou no anterior treino livre, conseguiu ser o segundo mais rápido a 0.204s do piloto famalicense.

Francisco Abreu melhorou a sua performance em quase um segundo, comparativamente à sessão inicial e colocou o Golf Gti TCR ao terceiro posto. João Sousa e Rita Graça foram os mais fortes entre os TCR2.

Qualificação 1

Rafael Lobato quebrou a hegemonia que César Machado tinha demonstrado durante as sessões de treinos livres e conseguiu garantir a pole-position para a primeira e quarta corrida do Campeonato Nacional de Velocidade Turismos, TCR Portugal. Ao ser o primeiro, e único até ao momento, a baixar o tempo de uma volta ao traçado bracarense para 1m22.872s, o piloto do Audi RS3 LMS não deu hipóteses à concorrência. O líder do campeonato, Francisco Mora também esteve em grande nível na primeira sessão de qualificação ao garantir o segundo melhor tempo (1m23.099).

Depois do domínio inicial, César Machado (Seat Leon Cup Racer) não conseguiu chegar aos tempos realizados na parte da manhã e não foi assim além do terceiro tempo. Francisco Abreu colocou o seu Golf Gti TCR na quarta posição, garantido assim um lugar na segunda linha da grelha.

João Sousa (Seat Leon Supercopa) com o oitavo posto foi o melhor TCR2.

Qualificação 2

Francisco Mora (Seat Leon TCR) conseguiu chamar a si a primeira posição da grelha de partida para a segunda e terceira corrida da jornada do Braga Racing Weekend ao conseguir efetuar uma volta em 1m29.917s, batendo claramente os mais diretos adversários. Francisco Abreu (Golf Gti TCR) foi o segundo mais veloz mas a 0,748s do líder do campeonato. César Machado (Seat Leon Cup Racer) voltou a repetir o resultado alcançado na primeira qualificação ao realizar o terceiro melhor tempo. O piloto de Vila Nova de Famalicão irá ter ao seu lado Edgar Florindo (Seat Leon TCR) que fechou o lote de pilotos que rodaram abaixo de 1m24s

No TCR2 João Sousa (Seat Leon Supercopa) foi o mais rápido.

Corrida 1

Francisco Mora (Seat Leon TCR) dominou por completo a primeira corrida da jornada do Racing Weekend em Braga, após um arranque que lhe permitiu bater, ainda antes da primeira curva, o detentor da polé-position (Rafael Lobato). Durante as 14 voltas o líder não sentiu grandes dificuldades em consolidar a liderança, mantendo até final um ritmo seguro e eficaz.

Mais intensa foi a luta pela segunda posição entre César Machado e Rafael Lobato que até à sexta volta conseguiram manter viva a discussão pela posição, altura em que o piloto do Audi RS3 LMS vitima de um problema na roda traseira teve de abrandar o ritmo e posteriormente parar nas boxes.

Edgar Florindo que tinha na partida ultrapassado Francisco Abreu e comandado, até meio da corrida, um trio composto ainda por Eduardo Leitão, foi gerindo a partir do abandono de Lobato a terceira posição que logrou subir ai pódio no final.

João Sousa fez uma corrida tranquila e venceu entre o TCR2

Disse o vencedor (Francisco Mora)

Sabia que iria ser extremamente importante as primeiras cinco voltas e por isso tentei fazer um bom arranque. Parti de segundo e consegui passar para a frente da corrida. A partir daí tentei fazer uma meia dúzia de voltas fortes mas também e pensar na gestão dos pneus. Aqui em Braga está muito calor e não é fácil fazer essa gestão. Felizmente correu tudo bem e estou muito contente pois foi uma boa operação em termos de contas do campeonato. Espero que as próximas três corridas sejam tão boas como esta.

1ª Volta – Francisco Mora assume o comando na primeira curva depois de ter efetuado uma excelente partida. César Machado também conseguiu passar o detentor da pole (Rafael Lobato) que caiu assim para terceiro.

2ª Volta – Luta intensa entre César Machado e Rafael Lobato. Trio formado por Edgar Florindo, Francisco Abreu e Eduardo Leitão discutem a quarta posição.

6ª Volta – Rafael Lobato furou a roda traseira direita numa altura em que continuava a pressionar fortemente César Machado. O piloto do Audi RS3 LMS entrou na boxe no final da volta.

10ª Volta – Francisco Mora comanda com uma vantagem bem alargada para o César Machado. Na luta pela terceira posição, Edgar Florindo distancia-se de Francisco Abreu e Eduardo Leitão.

13º Lugares praticamente definidos na primeira corrida com Francisco Mora e dominar em absoluto. César Machado confortável na segunda posição e Edgar Florindo sem pressão no ultimo lugar do pódio.

Corrida 2

Francisco Mora voltou a dominar em absoluto e venceu sem qualquer contestação a segunda corrida do dia reservada ao CNVT e TCR Portugal. O piloto do Seat Leon TCR partiu da pole-position, não se deixou surpreender pelos adversários e durante as 15 voltas ao Vasco Sameiro foi paulatinamente aumentando a sua liderança para, no final, terminar com mais de 12s sobre o mais direto perseguidor.

Se na discussão pela vitória não houve qualquer luta, o mesmo já não aconteceu nas posições seguintes. César Machado, que saiu da segunda posição, falhou completamente o arranque, ficou parado na grelha e caiu para a ultima posição. Nessa posição estava segundos antes Patrick Cunha que começou aqui uma recuperação, levando atrás de si o jovem famalicense. Ao cabo de cinco voltas, Florindo que tinha ultrapassado Francisco Abreu na primeira curva começava a ver o Audi RS3 LMS na sua traseira mas, quem não conseguiu aguentar a posição foi mesmo o piloto bracarense que viu César Machado roubar-lhe o ultimo lugar do pódio na nona volta. Até final o famalicense ainda tentou chegar ao seu colega de equipa (Speedy Motorsport) mas sem consequência.

Bem viva foi também a luta pelo quinto posto entre Francisco Abreu e Gustavo Moura com vantagem para o piloto do Golf Gti TCR. João Sousa voltou a vencer no TCR2

1º Volta – César Machado fica “colado” na grelha de partida e arranca quando já todo o pelotão tinha passado. Francisco Mora volta a fazer uma boa largada e começa logo aqui a liderar. Francisco Abreu chega a terceiro no final da primeira curva mas cede logo de seguida a posição a Edgar Florindo.

2ª Volta – Patrick Cunha e César Machado recuperam lugares e intrometem-se na luta pelo pódio. Luta acesa mais atrás entre Francisco Abreu, Gustavo Moura e Eduardo Leitão.

5ª Volta – Francisco Mora já lidera com 8.8s de vantagem para um trio composto por Edgar Florindo, Patrick Cunha e César Machado.

8º Volta – Edgar Florindo aproveita a luta entre Patrick Cunha e César Machado para distanciar-se ligeiramente na segunda posição. O líder já está a 10.5s

9ª Volta – César Machado consegue ultrapassar Patrick Cunha e coloca-se agora no encalço do seu colega de equipa Edgar Florindo.

12º Volta – 12,8s é a vantagem que Francisco Mora leva na frente da corrida. Posições quase definidas, exceção para a luta pela quinta posição.

13º Volta – Francisco Abreu consegue levar a melhor sobre Gustavo Moura e garante praticamente o quinto posto.

Final -  Mora vence com 12.106s de vantagem sobre Edgar Florindo. César Machado consegue garantir a melhor volta da corrida com 1m24.112s

Disse o vencedor (Francisco Mora)

“Eu queria acabar o dia da mesma maneira que comecei, a vencer, e consegui. Penso que a gestão que consegui fazer na primeira corrida trouxe agora os seus frutos e a minha vantagem no campeonato é agora de mais de cinquenta pontos. Espero que amanhã consiga voltar a repetir os resultados de hoje, isso significava que quase garantia a revalidação do titulo”.

 

NunOrganistA 1 7 Francisco Mora, Seat Leon

NunOrganistA 1 4 Rafael Lobato, Audi RS3 LMS

Legends

Treino Livre

Luís Delgado precisou apenas de uma volta lançada aos 3.020 km do Circuito Vasco Sameiro para colocar o seu Ford Sierra RS500 na primeira posição da tabela de tempos na sessão de treinos livres. João Novo, também em Ford Sierra RS500 foi o segundo mais rápido, seguido de Paulo Sousa que com o BMW E36 M3, da classe PH99, fechou o lote dos pilotos que conseguiram rodar em 1m30s. Em pista estiveram 31 concorrentes.

Manuel Fernandes (Alfa Romeo 156) foi o mais veloz entre os concorrentes da FEUP3, tendo Pedro Sousa que partilha o Fiat Punto com Miguel Rodrigues levado a melhor na FEUP2.  Em pista estiveram 31 concorrentes.

Qualificação

Confirmando aquilo que tinha acontecido nos treinos livres, Luís Delgado dominou em absoluto a Qualificação alcançando a primeira posição da grelha de partida para a corrida de amanhã. A prestação do piloto do Ford Sierra RS 500 foi de tal forma avassaladora que o tempo conseguido, 1m26.227s, deixou o mais direto adversário, no caso Paulo Sousa (BMW E36 M3), a 3.426s. João Novo (Ford Sierra RS 500) não conseguiu bater o tempo obtido de manhã e quedou-se assim com o terceiro melhor tempo, partindo para o corrida na segunda linha da grelha, onde terá a companhia de Pedro Alves (Citroen Saxo).

NunOrganistA 1 15 2 Luis Delgado, Ford Sierra 

Clássicos

Treino Livre

João Macedo Silva (Porsche 911 RSR) dominou a sessão de treinos livres ao conseguir a sua volta mais rápida em 1m27.185s. Com os Históricos 75 a dominaram as primeiras posições da tabela de tempos, Rui Costa e Joaquim Jorge colocaram os Ford Escort RS 1600 na segunda e terceira posições respectivamente.

Qualificação

Tal como era espectável, João Macedo e Silva garantiu a primeira posição na grelha de partida para a primeira corrida do Campeonato Nacional de Clássicos Circuitos ao realizar uma volta em 1m25.518s. O piloto do Porsche 911 RSR destacou-se claramente da concorrência que tem em Joaquim Jorge (Ford Escort RS 1600) o líder de um grupo, de cinco pilotos, que terminaram a qualificação separados por cerca de 1s. Carlos Vieira, Rui Costa, Rui Alves e Rui Azevedo colocaram os seus Ford Escort RS1600 nas posições seguintes e formaram as segunda e terceira linhas da grelha de partida.

NunOrganistA 1 13 João Macedo Silva, Porsche 911 RSR

Clássicos 1300

Treino Livre

O líder do campeonato H75, Luís Alegria, iniciou da melhor forma a jornada bracarense ao bater os seus adversários na sessão de treinos livres disputada na manhã de sábado. O piloto do Datsun 1200 Coupe efetuou uma volta ao Circuito Vasco Sameiro em 1m34.419s, batendo por 0.368s o seu mais direto rival nas contas pelo titulo, José Fafiães (Datsun 1200). O terceiro mais rápido da sessão, Filipe Nogueira (Morris Mini 1275 GT) gastou mais 1.165s que Luís Alegria.

Qualificação

Depois de Luís Alegria ter dominado os treinos livres, foi a vez de José Fafiães impor o seu Datsun 1200 e garantir o melhor tempo na qualificação entre os Clássicos 1300. Fafiães precisou apenas de 3 voltas para realizar uma “super volta” ao traçado de Braga e deixar o seu adversário direto, Luis Alegria, a 1.195s. Os Datsun 1200 monopolizaram as três primeiras posições da grelha de partida, cabendo a Arnaldo Marques a terceira posição. A segunda linha da grelha terá ainda Filipe Nogueira (Morris Mini 1275 GT).

NunOrganistA 1 14 Luís Alegria, Datsun 1200 Coupe

Braga com 79 inscritos

RW17

O próximo Racing Weekend vai ser no Circuito Vasco Sameiro e tem lugar já no próximo fim-de-semana.

Quase oito dezenas de pilotos vão estar presentes no Circuito de Braga, para disputarem a próxima jornada do Campeonato Nacional de Velocidade, TCR Portugal, dos Campeonatos Nacionais de Clássicos Circuitos e 1300 e ainda do Campeonato Nacional Legends. A estas provas vai-se juntar ainda o Club´s Parade, um desfile destinado aos amantes dos clássicos, que se vai realizar no Sábado.

O Campeonato Nacional de Velocidade Turismos, TCR Portugal, vai ter uma jornada quadrupla, com duas corridas no Sábado e duas no Domingo. Com o campeonato a entrar na ponta final, esta vai ser certamente uma jornada de primordial importância para as contas de época, que se começam a definir.

Nos dois campeonatos de Clássicos (CNCC e CNCC 1300) e nos Legends teremos treinos no Sábado e corridas duplas no Domingo. O “programa das festas” abre às nove horas no dois dias, prevendo-se que termine ao fim-da-tarde.

Mora Domingo Francisco Mora (Seat Leon TCR) lidera o CNV, TCR Portugal

Braga vai receber velocidade

RW17

O próximo Racing Weekend é já em 2 e 3 de Setembro e tem o Circuito Vasco Sameiro, em Braga, como palco.

O Campeonato Nacional de Velocidade, TCR Portugal, vai ter em Braga a terceira jornada, sendo que esta é a primeira com quatro corridas do ano.

Nas seis corridas até agora disputadas, Francisco Mora (Seat Leon TCR) ganhou por quatro vezes e assim comanda o campeonato, com 142 pontos, mais 28 do que Francisco Abreu (WV Golf TCR), que com uma vitória e dois segundos, tem mais 16 pontos, do que a dupla Rafael Lobato e Patrick Cunha (Audi RS3 LMS) . Aliás, Lobato foi o outro piloto a vencer este ano, justamente na primeira corrida, no Estoril.

Os clássicos vão também estar presentes, com jornadas duplas quer para o Campeonato Nacional de Clássicos Circuitos (CNCC) e Campeonato Nacional de Clássicos Circuitos 1300 (CNCC1300), assim como o Campeonato Nacional Legends (CNL).

Os Supercars vão ter aqui a segunda prova do ano e desde já sem a presença de Gonçalo Manahu (Porsche 997 GT3). O duplo vencedor de Vila Real, anunciou já que não vai alinhar em Braga, pois está “focado” no Campeonato Nacional de Montanha, onde luta para renovar o título.

Sábado vai-se realizar o Club´s Parade, um desfile aberto a todos quantos queiram participar, desde que se inscrevam atempadamente e possuam um clássico.

cnvt partida Partida CNVT, TCR, Braga 2016 (Arquivo)